Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




LEVE MORNA E INVISIVEL

por sopa-de-letras, em 23.01.14

 O QUE NAO ME MATA, TORNA-ME MAIS FORTE

alguem disse isto

nao sei quem

nem me interessa

se eu ja sou um rochedo, para que raio quero eu ser mais forte?!

 

O que eu gostava mesmo...era de ser leve

 

leve, morna e invisivel

 

Leve como o vento

 

Qual brisa da manha

Acariciando rostos

Beijando montes e vales

 

Morna como a agua

Das seis da manha

Daquele mar do Brasil

Cuja onda

Indiferente a tudo

Vem, dengosa

Prazenteiramente

Desmaiar na areia

 

Invisivel como o sol

Durante a noite

Nao pode ver-se

Mas esta la

Cumprindo 

A sua nobre missao

De aquecer a terra 

 

23.01.2014

BL

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 06:58


HABLAME DEL MAR MARINERO

por sopa-de-letras, em 29.09.13

 

 

Era uma vez...

Muitos milénios atrás, numa tarde em que a energia acumulada explodiu, surgiu uma pequena partícula, redondinha, acahatada em dois pontos opostos, tal e qual uma laranja.

Enquanto a laranjinha esvoaçava feliz, o universo reparou nela.

Apaixonou-se de imediato.

Bruscamente, segurou-a e ordenou-lhe:

- Não vais andar por aí ao Deus dará, é perigoso, podes chocar com alguém e magoares-te ou até desapareceres, e eu não quero perder-te.

A partir de agora, vais apenas rodar sobre ti própria e em torno do meu coração, para que possa amar-te para a eternidade.

O teu nome será Terra.

Dado que o Universo tinha pleno poder, a Terra obedeceu, e passou a amá-lo acima de tudo.

Do amor entre a Terra e o Universo, nasceu uma criança maravilhosa, irrequieta, brincalhona, diferente de tudo o que até então existia.

Enternecidos, o Universo e a Terra, deram-lhe o nome de MAR, que significava, Minha Amada Raridade.

Vivem felizes até aos dias de hoje.

De vez em quando o Mar faz traquinices, como, por exemplo, sair do lugar que lhe pertence, invadir terreno alheio.

Então destrói casas, mata pessoas, e faz coisas assim muito ruins, mas não é por maldade, faz parte da sua natureza.

Gosta de guardar relíquias, brinca com os peixinhos, quando eles são pequeninos, fa-los crescer, e gosta da variedade de cores e tamanhos. A alguns fa-los crescer tanto que viram baleias e tubarões.

Prega partidas aos pescadores...por brincadeira, mostra-lhes mulheres lindas de longos cabelos dourados e ondulados, que são metade mulher metade peixe e se chamam sereias; elas cantam chamando pelos pescadores, mas quando eles querem tocar-lhes, o mar esconde-as.

É assim o mar... transparente, lindo, `as vezes calmo e amoroso, doce e brincalhão, outras vezes terrívelmente violento e mal criado.

Eu amo o mar e morro de saudades dele quando estou longe.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 09:07

mytaste.pt



Síguenos en Twitter

Siguenos en Facebook