Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




18 DE SETEMBRO DE 1973

por sopa-de-letras, em 18.09.13

 

Neste dia, ha precisamente 40 anos, partia para Luanda, mais um grupo de vidas em flor.

Uns voltariam, outros nao.

Para tras ficavam as familias, os amigos, a terra que os viu nascer.

Agarrada `a rede da vedacao, chorando desesperadamente, ficava uma rapariguinha magricela, com 18 anos de idade.

O mundo, para si, acabava de desabar.

Em casa esperava por ela a sua filha de cinco meses.

Primeiro grande golpe na vida de alguem que sempre sonhou, mas que tantos pesadelos ja viveu.

 

Aquele momento mudaria para sempre a vida de todos os intervenientes.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:09


O PARAISO

por sopa-de-letras, em 09.06.13

Permitiu Deus que eu  hoje vivesse neste paraiso.

Como um prenuncio de algo que se avizinha, mas que nao consigo identificar se bom ou mau.

Do meu posto de observacao, sinto o pulsar da vida.

Nao me atrevo a fazer qualquer movimento, para nao incomodar esta harmonia. 

A desolacao do Inverno vestiu-se de verde.

Os pequenos pardais esvoacam de ramo em ramo, ate pousarem na horta, alheios a minha presenca, julgando talvez, que nao passo dum espantalho.

Os corvos , num grasnar constante, andam por aqui. Nas suas vestes negras, parecem-me criaturas ameacadoras.

Talvez seja reflexo da cena a que assisti ha dias...

Nem queria acreditar no que os meus olhos estavam a ver. Andava um grupo de passaros a debicar na estrada de terra batida. Por cima andavam uns quantos corvos a esvoacar. De repente, um dos corvos, lanca-se em voo directo , preciso, e rapido, na direccao dos passaros, e depois de rasar o bando,

levantou quase a pique, levando nas garras um dos passaros.

Fiquei boqueaberta a observar a cena. Depois de muito dar as asas o pobre do passaro la conseguiu libertar-se, e eu respirei fundo.

Outros habitantes aqui do meu mundo, sao os coelhos; ha-os aos centos. Nesta altura do ano andam por aqui os filhotes, como todas as criancas, sao menos cautelosos que os pais, aventuram-se e chegam bem perto de mim.

A `egua jovem, calmamente, pastando la ao fundo. Do lado de la da cerca, talvez uns vinte cavalos, pertenca dos ciganos irlandeses.

Ca na ilha ha muitos ciganos irlandeses. Mas nao se faca confusao, estes ciganos nao sao como os nossos. Qualquer casa de cigano, pelo menos aqui nesta area, faz inveja as melhores vivendas do Restelo.

Nao....nao vivem em barracas com os bolsos cheios de notas. Vivem com os bolsos cheios de notas, mas em casas espectaculares.

Os patos....ah os patos hoje ainda nao passaram...costumam passar por aqui numa algazarra, formando um V recortado contra o ceu.

Nao sei se estou certa, mas penso que agora estao nos ninhos, por isso nao os oico com frequencia.

Sei de outros habitantes da regiao, mas que nao costumo ver, em especial, raposas e veados.

Ha ainda os periquitos, que so aparecem quando as arvores estao carregadas de frutos.

Esses sao uma perfeita aberracao nesta paisagem, mas sobre eles ja falei. Fica o link para rever.

 

http://devoralondres.blogs.sapo.pt/66233.html

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 05:22


A DECADENCIA

por sopa-de-letras, em 26.05.13

Detesto esta minha obrigacao de assistir, em directo, `a decadencia.

 

Nunca me custou a obrigacao de ajudar a evolucao da vida. O crescimento, a aprendizagem, o desenvolvimento, sempre me deram prazer, apesar das dificuldades financeiras.

 

Ter que acompanhar o dia a dia de vidas que estao abalando devagarinho, `e doloroso.

 

Quando a gente ve os nossos progenitores, de dia para dia, a piorar, as suas vidas a esvairem-se, nao `e facil.

 

Sei que parece de uma frieza atroz esta minha confidencia. Porem, mentiria se falasse diferente, pois `e assim que sinto.

 

Assistir `a frustracao de alguem que nao consegue perceber porque `e que ja nao tem a mesma força de outrora, `e frustrante, porque vemos a pessoa sofrer, mas nao podemos ajudar.

 

Quer cavar, mas ja nao pode, e insiste e teima e cai para o lado e piora a sua condicao. Quer regar, quer fazer tudo o que fazia antes, e nao entende porque nao pode.

 

Nao se conforma com a sua condicao, com a sua idade.

 

Ha uma especie de rejeicao, relativamente ao facto de ir avancando na vida.

 

Eu compreendo, sei que se chegar `a mesma idade tambem vou ser assim, sinceramente, desejo nao chegar la. Mas nao sei como lidar com a situacao, nao sei como ajudar.

 

`E triste a decadencia

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:38


PARECE FACIL

por sopa-de-letras, em 25.05.13

 

Somos simples instrumentos

Como pecas de xadrez

Movidos por mao gigante

Mesmo aqueles mais teimosos

Podem ter vontade propria

Mas logo sao empurrados

A vida nao `e mais que um breve instante

Nao temos tempo para tirar partido do que vamos aprendendo

Apos aprendermos qualquer coisa, surgem sempre novas licoes, de tal forma, que nao resta espaco para usarmos o conhecimento

Vivemos embrenhados nos papeis em que fomos encaixados

De repente surge na nossa frente uma situacao inesperada, nao estava no programa, por isso nao sabemos que fazer

Quando percebemos que esse inesperado tem potencial para nos proporcionar os unicos momentos pelos quais valeu a pena vir ao mundo, sofremos desesperadamente

Situamo-nos entre a programacao e a margem, num espaco imaginario, e ai entalados, nao sabemos se chorar a nossa pouca sorte, ou rir desalmadamente do que nos coube na lotaria da vida.

`E dificil sair dessa situacao.

Se puxamos para um lado, doi. Se puxamos para o outro doi.

Dum lado esta a aprendizagem de toda uma vida, e as correntes que a ela nos prendem; a sensacao de seguranca

Do outro lado, esta o desconhecido, a promessa de momentos unicos, e...provavelmente novas correntes; a sensacao de inseguranca

Para um lado puxa a cabeca

Para o outro puxa o coracao

Em qual deles confiar?

Por norma, o coracao `e mais forte. Ele continua a bater, mesmo depois da morte cerebral

Se o coracao para, la se foi a cabeca, e o corpo todo

Seguindo este raciocinio, parece tao facil... 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

publicado às 23:56


A VIDA

por sopa-de-letras, em 05.05.13

 

'Puerto Libre'

“Life is a tragedy when seen in close-up, but a comedy in long-shot.”

“La vida es una tragedia cuando se mira en primer plano, pero una comedia cuando se mira a distancia.” ― Charles Chaplin

 

“Life is a tragedy when seen in close-up, but a comedy in long-shot.”“La vida es una tragedia cuando se mira en primer plano, pero una comedia cuando se mira a distancia.”― Charles Chaplin

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:29


DIGITAL BOX....PRECISA-SE

por sopa-de-letras, em 27.04.13

 

 

`E preciso aprender a descodificar os sinais.

Deviamos nascer apetrechados com uma box descodificadora,

Porque as vezes `e tao dificil compreender

O conteudo das ondas magneticas

Que nos sao enviadas pela vida.

Os nossos sensores sao toscos.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 06:46


RECTA FINAL

por sopa-de-letras, em 17.03.13

 

Visito todos os fins de semana um lar de idosos (home care), no pais em que vivo.

Nao sei bem descrever o que senti na primeira vez que la entrei.

Tem o aspecto de uma casa de familia de grandes dimensoes, o que acho bom, para que o impacto nos idosos, seja menor.

Nao sei como sao em Portugal, entrei apenas tres vezes, sempre no mesmo, que mais se parecia com um hospital.

Contudo, nao deixei de sentir um aperto no coracao, quando olhei em redor do salao, onde se encontrava a maior parte dos habitantes.

Pensar que lutamos a vida toda, para acabarmos num lugar estranho, esperando que a morte chegue, deixa-me um sabor amargo na boca.

Doi-me que a minha mae tenha que la estar, mas eu, como a maior parte das pessoas, nao tenho condicoes de a ter em casa. Porque sofre de doenca mental, nao a posso deixar, durante o dia, enquanto trabalho, aos cuidados do meu pai que ja tem oitenta e sete anos, e mal pode tomar conta dele. Para alem disso, durante a noite nao deixa descansar ninguem, o que `e um problema, para quem , no dia seguinte, tem que trabalhar.

No caso dela, sofro mais eu, do que ela, que nao tem bem a percepcao das coisas.

Mas ha muitas situacoes em que assim nao `e.

Quase todas as vezes que la vou,me apercebo que, muitas daquelas pessoas, sofrem por estarem fora das suas casas e das suas familias.

Vive la uma cadelita, pertenca de uma das velhotas, que se recusou a separar-se dela , quando deu entrada. Digamos que `e a ligacao dela ao passado e ao mundo exterior.

Quando chego e cumprimento, sempre se estampa um sorriso na maior parte dos rostos, e algumas delas tem sempre alguma coisa a perguntar ou a dizer.

Nota-se que precisam de atencao, e `e visivel uma certa ansiedade, talvez porque esperassem ver entrar algum seu familiar.

Raramente la encontro alguem a visitar.

Ha uma pergunta que se repete todos os fins de semana. Quando comeco a falar, perguntam sempre: - de onde `es ?

Percebem pelo sotaque que sou estrangeira,mas depois esquecem-se, e no domingo seguinte voltam a perguntar.

Hoje, eu e a cadela, fomos o divertimento da tarde, jogando a bola no meio da sala. A cadela `e gira, eu jogava a bola para ela, e ela com o focinho jogava para mim. Se eu parava, ladrava-me. 

O dialogo que hoje me marcou:

- Eu sou a Ruth.

- Ola Rut.

- Nao.......Ruth.

- Ok, desculpa Russ.

- Nao...Ruth...Ruth...(com a lingua entre os dentes)

  ( o th dos ingleses, que eu jamais conseguirei pronunciar correctamente)

- De onde `es?

- Eu sou de Portugal, e tu de onde `es?

- Sou de Epsom.

- Ok, entao estas perto de casa.

- Sim...tu gostavas de viver nesta casa?

  Nao esperava aquela pergunta, parei um pouco. Depois respondi:

- Sabes, durante alguns anos, eu ainda tenho que trabalhar, mas quando chegar a minha altura, acho  

  que nao vou importar-me de viver numa casa como esta.

- Pois....`e uma casa agradavel....

  Rematou.

Passado pouco tempo, ouvi-a a dizer a outra velhota:

- Daqui a uns dias vou para casa.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:57


COISAS EM QUE ACREDITO

por sopa-de-letras, em 16.03.13

 

Acredito que:

 

- Nada morre...tudo se transforma.

- Somos, minusculas particulas, flutuantes, do Universo.

- Os medos nos fazem mal.

- Uma alma livre, pode fazer " milagres ".

- Muitas vezes, construimos as nossas proprias algemas. 

- Podemos viver em cosmica harmonia

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 09:22


VIVEMOS DE FORMA ERRADA

por sopa-de-letras, em 14.03.13

 

 

A vida nao `e mais que uma escapadela.

A alma escapa-se do seu habitat, entra numa vestimenta, da umas voltinhas, e escapa-se novamente, depois de destruir a roupagem.

Seria, pois, sensato que cuidassemos de fazer dos nossos dias, momentos de prazer e alegria.

Mas nao. Teimamos em nao encaixar na nossa mente, uma realidade tao basica.

Erradamente, somos educados como se fossemos eternos, como se a morte fosse uma coisa que so acontece aos outros.

Nao somos preparados para a realidade.

Crescemos sem saber lidar com os nossos sentimentos, nem com as nossas emocoes.

Por isso sofremos tanto.

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:55

mytaste.pt



Síguenos en Twitter

Siguenos en Facebook