Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]





...

por sopa-de-letras, em 28.06.17

Um dia...pode ser tarde...

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:31


...

por sopa-de-letras, em 28.06.17

Meu Deus...como `e dificil viver !!!

 

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:41


FELIZ ANIVERSARIO MINHA FILHA

por sopa-de-letras, em 25.06.17

11251173_10153461274569600_4510526659081734472_n_0

Eu com a Susana em Dezembro de 1978

 

Amanha faz 41 anos que fui mae pela segunda vez.

Nasceu a minha filha Susana.

Foi a segunda das minhas quatro filhas.

Procurei por um rapazinho, mas estava destinada a ter apenas meninas.

Ser mae, `e algo que nao se explica.

Somente quem `e mae, sabe o que `e ser mae.

Erroneamente, assumi que cada uma das minhas filhas era propriedade minha.

Com mais ou menos dificuldade defendi-as de tudo o que pude.

Amei-as, desde o primeiro movimento dentro do meu ventre, in-con-di-cio-nal-men-te.

Dizem que quando nascemos, ja trazemos escrita a nossa estoria, embora invisivel.

Talvez sim, ou talvez nao.

Facto `e que na madrugada daquele dia 26 de Junho de 1976, quando segurei nos meus bracos

aquele milagre da vida, nao podia imaginar o quanto ambas tinhamos para sofrer.

Nao podia adivinhar os dramas que nos aguardavam no futuro.

Quando, no palco da vida se desenrolou a ultima tragedia da vida da Susana,

aquele factidico acidente de carro onde ela e o Miguel perderam a vida,

o meu choque foi de tal ordem, que nao encontro palavras para o descrever.

A Susana tinha entao 31 anos.

A partir dai, ficou uma especie de buraco na minha alma que dura ate hoje e,

acredito, vai durar enquanto eu viver .

Houve varias fases, das quais falarei oportunamente.

Hoje resta uma saudade imensa, e a pena de que a minha filha nao possa amanha apagar

41 velas sobre o seu bolo de aniversario.

canvas.png Susana comigo ao colo.

canvas3.pngSusana, Sofia, eu, Sandra

Vy2exvZwWUy8KK4uAEZpYAjGxXidR_eAYnR3J89ojBGWyqYnZ7Susana

Vy2exvZwWUy8KK4uAEZpYAX2HIl7BJQYe1DT4dowciFqIVHWc2Susana com a Joana

Vy2exvZwWUy8KK4uAEZpYJvsgwB-9DN39h4adHXM1b7ONFWnlVSusana com a Simba

Vy2exvZwWUy8KK4uAEZpYK8rAuUOiDXwIVqNT897aDOtAzMxjBSofiac e Susana

Vy2exvZwWUy8KK4uAEZpYKDmaFALpZC58eFyOo_zFX9P_AH8q_Susana e Sofia com a Rita bebe

Vy2exvZwWUy8KK4uAEZpYLiUjB7hiD2wQu1UQYOsji6HMEaegpSusana com Rita

Vy2exvZwWUy8KK4uAEZpYNA20A3vS5iAKDCVwSpJE9X2Ys6K9iSusana

Vy2exvZwWUy8KK4uAEZpYNcf0Q7u4FKRPNgcbcEEESWW_5NlBsSusana com Joana

Vy2exvZwWUy8KK4uAEZpYC42o_xsDyTK0bSbK76VbrurVxW0FzSegundo aniversario da Joana

Vy2exvZwWUy8KK4uAEZpYGIIRXmyuIs_9O1K1iJMsM1__IYVMiSandra, Sofia e Susana

Vy2exvZwWUy8KK4uAEZpYITjSr6kbF8bRqtAa0w7GdqOhBe9T8EU E SUSANA

 

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:52


...

por sopa-de-letras, em 24.06.17

7254635.jpg

 

Tive perdas dolorosas

Gente linda que eu amei

Que trago no coracao

Tal e qual como as rosas

Seguiram da vida a lei

Tendo a mesma condicao

 

Perfumaram minha vida

Levaram parte de mim

E partiram tristemente

Fiquei por ai perdida

Numa tristeza sem fim

Tao so entre tanta gente

 

Sei que todos caminhamos

Na estrada que bem ou mal

Nos ha-de levar `a morte

Mas doi quando  lembramos

De quem partiu e afinal

Teve tao infeliz sorte

 

21.06.02017

poema de Maria V Letras

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 03:31


A DARK FIGURE

por sopa-de-letras, em 15.06.17

5.
I am alone. There's nothing in the room. I really am thirsty.
I get up and walk to the bedroom door and, with my hands, I feel the wall outside the bedroom. Where is the damn light switch? I look one way and the other into the hallway. In the darkness my eyes see weird forms. I flip the switch and move on to the living-room and kitchen, switching the lights on as I go. Nothing. It's all in my head. All I hear, as I grab a glass from the cupboard, is the sound of cars in the distance. I turn on the tap and water trickles into the glass. Suddenly, the hairs on the back of my neck stand up. I turn but the room is, once again, empty. I take the glass of water, switch off the kitchen light and wander back into the living-room as I drink. I decide to look out the window at the neighbour's house again. The lights are still off. Maybe it is all in my head. Something moves in my peripheral vision. What the...? I look down, and at the end of the back garden is a dark figure. Damn fly! Buzz off. Hey, where did it- Shit! It's right underneath my window. I can see it looking up at me

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:07


IS THAT IT ?

por sopa-de-letras, em 14.06.17

aaaa.jpg

 

4.
What was that? Was that the latch on the front door? NO! I gotta run. I can't let it reach me. Where can I hide? My room? Yes! No! Too far. Cupboard! Quick! Close the door. Silence. Dark. I sit, hugging my legs to my chest. My forehead resting on my knees. All I can hear is my breath. I cover my mouth with my hand. I didn't realise I could breathe so loudly. I straighten up in realisation. Shit!
***
Shit! You know how they you will always feel better after you've slept on it? Yeah, no. What time is- midnight? Is that it? I feel like that lasted hours. Damn nightmare. Damn neighbours. Probably some prank. Everyone "spies" on their neighbours though, could have just said something.
My mouth is dry. Where's the damn light switch? WHAT? I felt something! Something touched me!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:54


URGENCIA DE VIVER

por sopa-de-letras, em 14.06.17

Tem pressa...ele tem pressa...como se amanha ja nao houvesse mais tempo para fazer tudo o que quer.

Faz tudo desenfreadamente. E quando digo tudo, `e tudo mesmo.

A urgencia , esta urgencia assusta-me.

A urgencia e a perfeicao...tenta aproximar-se cada vez mais da perfeicao. Assusta-me.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

publicado às 20:32


DUSK AND SHADOW

por sopa-de-letras, em 13.06.17

3333.jpg

 

3.
What the...? It just turned towards the window.
Can you see me? I can feel your eyes on me. I can only see your shadow though. Does it even have eyes? It makes no sense. I can't see IT. Only its shadow. So, how can it...Whatever it is, whatever it has instead of eyes, it can...sense me.
It's standing near the window. So still. It makes no sense. I can't see IT. Only its shadow. So, how can it see... It's gone!
It just vanished! Maybe if I lean as far right as the window will...nope, can't see it. Maybe if I open the window... aaand the lights turned off. What is going on?
Maybe I should get some sleep...
(But I saw it!!!)
...and forget my uneasiness. It's dusk. Only dusk.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:00


A MORTE DO ZE MARIA

por sopa-de-letras, em 13.06.17

asilo753e64b4-d184-4c05-99f5-2b5db6108c87_ORIGINAL

 

A Morte do Zé Maria
Uma lenda por Francisco Letras

Morreu hoje o Zé Maria num asilo em Aljustrel,
Baixo Alentejo, Portugal,
Sería a saudade e o desanimo, talvez a velhice ou um desejo
Que o levou ao ponto final.
Enrugado e isolado, pelo asilo abandonado
Por familia sempre ocupada, e sem o poderem vir ver,
Coitado pra li ficou e a vida desbobinou, a sofrer até morrer.
O Zé Maria foi filho, foi pai, avo, foi irmão,
Foi estudante e soldado, trabalhador, empregado, foi escoteiro e foi cristão,
Foi dono de um chafariz que ainda hoje condiz em cima de um barrancão,
E dizem que quando, defendeu o seu paíz, que o fez com distinção.
Sem balas suficientes, defendeu um montão de gente
De um ataque terrorista, e á base da sua coragem, manteu outra vez a vantagem
Ao governo facista.
Depois da revolução voltou para a sua nação cheio de honra e de esperança,
Mas dentro da democracia sentiu tanta patifaria que sózinho emigrou pra França.
Tudo o que para lá ganhou, e o pouco que lá poupou mandou para o seu pessoal,
Até que já velho e cansado, completamente estourado retornou á sua terra natal.
Tería comprado uma casinha, pequena, caiada, coitadinha
De aparencia muito singela,
As ambições do pessoal, logo se mostraram a final ao
Resolverem se ver livre de ela.
A casa do Zé Maria, entre a velha padaria e a farmácia do Manel Danilo,
Venderam-na com lucro calculado,
E o Zé Maria coitado lá foi caír pró asilo.
Dizem que morreu de desgosto, pois aí esteve desde agosto
Sem visitas receber,
Um homem que deu tanto amor,
Despendido com rancor,
Não dá para perceber.
E foi então nest dia
Que o nosso amigo Zé Maria
Chegou ao seu ponto final
Apesar de ser bonzinho
Morreu abandonado e sózinho
Em Aljustrel, Portugal.

 

Chico Letras

12.06.2017

21h

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:03


SHADOW

por sopa-de-letras, em 13.06.17

MextagramSombras01.jpg

 

2.
Tonight the house was consumed by darkness, except for the faint night light emanating from the farthest window.
Is 8 o'clock too early to be in bed? I suppose not, if you have to be up early, like 5 or 6. Besides, people are allowed to change their habits once in a while without arousing the suspicion of their neighbours, right?
So why do I feel so uneasy? Could it be the shadow on the wall I can see through the farthest window?
It looks like the shadow of a person hunched over something. Like a parent watching over their child as they sleep soundly in their beds. Like a guardian angel watching over an innocent as they dream. Like a witch watching over a cauldron as their latest brew bubbles happily. Like a hunter watching over his prey as it writhes on the floor. Like a child looking over an ant with a magnifying glass.
Shit! It moved!

Ana Rice-Wallace

12.06.2017

22h

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 09:30

mytaste.pt

Pág. 1/2




Síguenos en Twitter

Siguenos en Facebook